Pós em Letras Ufpe

Pós em Letras Ufpe
Teses e Dissetações
Acesse nosso Banco Digital
de Teses e Dissertações

Letras Digitais
Acesse o website do
Projeto Letras Digitais

Teses e Dissetações
Acesse o website da
Revista Investigações

Informativo PPGL/Ufpe
Receba nossos informes
direto em sua caixa postal. Digite seu e-mail no campo abaixo:



www.flickr.com
 
   
 
Pesquisa » NÚCLEOS
   
 
NELFE - Núcleo de Estudos Linguísticos da Fala e Escrita

Fundação
NELFE foi fundado em 1991 por pesquisadores da PPGLetras da UFPE sob a coordenação do Prof. LUIZ ANTÔNIO MARCUSCHI. Cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq, também se insere nas linhas de pesquisa da PPGLetras (especialmente nas linhas Análise Sócio-Pragmática do Discurso; Organização Linguística da Produção Oral e Escrita).

Objetivo
O Núcleo tem por objetivo central investigar questões ligadas à fala e à escrita, dando ênfase a aspectos lingüísticos na perspectiva textual-interativa. A perspectiva macro do programa de estudos do NELFE é: características e usos, o que propicia um trabalho a respeito de práticas sociais, ou seja, sobre o uso da língua e não apenas uma análise intrínseca do código em suas estruturas.

Infra-estrutura
A sede do NELFE, uma sala bem-equipada e ampla abriga um grande acervo de livros, revistas, teses, dissertações, uma bancada de oito computadores, todos ligados à Internet, impressoras, scanner, filmadora, um ambiente para reuniões de pesquisa e duas pequenas salas de pesquisador.

Pesquisadores Atuais
• Luiz Antônio Marcuschi
• Judith Chambliss Hoffnagel
• Dóris de Arruda Carneiro da Cunha
• Kazue Saito Monteiro de Barros
• Angela Paiva Dionisio

Participação Discente (em fluxo contínuo)
10 doutorandos
15 mestrandos
19 iniciação científica

Outras Participações
Vários pesquisadores e professores de outras universidades nacionais e internacionais têm passado algum tempo no NELFE, contribuindo com palestras, consultas, mini-cursos, e utilizando o acervo bibliográfico e o corpus lingüístico. O NELFE também tem abrigado vários pós-doutorandos sob a orientação de seus pesquisadores.

Repercussões

• Produção científica:
O NELFE já produziu mais de 200 trabalhos apresentados em Congressos nacionais, internacionais e em livros, revistas científicas, anais de congresso e outros meios de divulgação. Os temas de que trata são hoje de grande relevância e entraram definitivamente na agenda dos estudiosos da Linguística. Mantêm um “corpus lingüístico” sistematizado e automatizado com mais de 500 textos da fala e da escrita numa classificação orientada com base nos agrupamentos em gêneros textuais. Várias das posições defendidas pelo NELFE resultaram em base teórica para teses de Doutorado e dissertações de Mestrado. Entre esses postulados estão: a) a relação fala-escrita não é dicotômica, e é melhor visto dentro de um “contínuo” de textos falados e escritos; b) esta relação se dá na correlação com os gêneros textuais; c) as relações fala-escrita são complexas formando uma “mescla de modalidades”. Estas teses deram origem a pesquisas sobre os “Gêneros textuais”, distinguindo-os dos “Tipos textuais”. Também deram origem a estudos sobre a relação fala-escrita dentro de um quadro mais amplo com múltiplas variáveis.

• Formação de Recursos Humanos
Além dos muitos mestrandos e doutorandos que participaram nas atividades do NELFE, desenvolvendo dissertações e teses dentro das linhas de pesquisa do Núcleo, já passaram pelo NELFE mais de 79 bolsistas de aperfeiçoamento e iniciação cientifica. Dos 60 que já se formaram, mais de 60% continuaram seus estudos na pós-graduação da UFPE e outros universidades nacionais e internacionais. Hoje temos 10 ex-bolsistas com título de doutor, 27 com título de mestre, 05 cursando mestrado e 10 cursando doutorado. Dos 19 bolsistas atualmente ligados ao NELFE, a maioria tem planos para a pós-graduação.

Principais Linhas de Pesquisa do NELFE

1. Análise de Gêneros Textuais: estudos dos gêneros textuais como textos que se apresentam num formato específico e com funções e propriedades características. São de natureza social, históricos e circulam na sociedade. Entram em questão todos os gêneros tanto da oralidade com da escrita.

2. Língua Falada e Língua Escrita: análise das relações entre língua falada e língua escrita na hipótese do contínuo lingüístico fundado na relação entre as modalidades e os gêneros textuais. A perspectiva da análise situa-se em particular nas questões vinculadas a processos e atividades discursivas em contextos de uso real e autentico da língua.

3. Organização Textual-Interativa: observa-se a organização textual dos textos orais e escritos na perspectiva da hipótese textual-interativa e com particular atenção para as atividades discursivas. A progressão referencial, a progressão tópica, as variações estruturais, bem como a organização tipológica e distribuição dos fenômenos lingüísticos pelos gêneros são tópicos centrais da observação.

4. Produção Textual em Ambiente Digital: análise dos textos em ambientes digitais sob o ponto de vista dos gêneros, a relação com a oralidade, a organização interna e suas funções. Também são analisados os modos de circulação desses gêneros e sua presença cada vez mais diversificada na empresa e no dia-a-dia das pessoas.

5. Multimodalidade Discursiva na Fala e na Escrita: considera que o texto não é meramente lingüístico e se preocupa em analisar como os processos comunicativos se combinam em diversos modos de representação na construção de sentido; investiga-se também como os modos de representação mudam e se misturam no processamento textual numa perspectiva sócio-histórica.

RETROSPECTIVA DOS PROJETOS DESENVOLVIDOS NO NELFE

• Projeto Integrado: Continuidade e Descontinuidade na Fala na Interação Face a Face: o caso da Hesitação (1992-1995)
• Formas e posições da hesitação como descontinuinadora da fala na interação verbal (Marcuschi)
• Padrões entoacionais nos processos de continuidade e descontinuidade na fala (Viana)
• Continuidade/descontinuidade da fala na interação verbal entre homens e mulheres (Hoffnagel)
• Projeto Integrado: Fala e Escrita: Características e Usos I (1995-1997)
• Fala e Escrita: características num continuum tipológico (Marcuschi)
• Modalização epistêmica: usos e funções na fala (Hoffnagel)
• Discurso reportado e argumentação na língua falada (Cunha)
• A interrupção na interação em sala de aula (Barros)
• Projeto Integrado: Fala e Escrita: Características e Usos II (referência, modalização, heterogeneidade, tópico) (1997-1999)
• Atribuição de referentes nas atividades de formulação textual na fala e na escrita (Marcuschi)
• Modalidades epistêmicas e deônticas na fala e escrita como expressão de comprometimento ou distanciamento (Hoffnagel)
• Heterogeneidade e gêneros textuais na fala e escrita (Cunha)
• Organização tópica e gêneros textuais na relação entre fala e escrita (Barros)
• Projeto Integrado: Fala e Escrita: Características e Usos III (referenciação, identidade, metaenunciação, e interatividade na atividade discursiva) (1999-2001)
• Referenciação e coerência da atividade discursiva falada e escrita (Marcuschi)
• A emergência de identidades na atividade discursiva falada e escrita (Hoffnagel)
• A metaenunciação na atividade discursiva falada e escrita (Cunha)
• Estratégias discursivas na atividade discursiva falada e escrita (Barros)
• Projeto Integrado: Fala e Escrita: Características e Usos IV (produção textual, processos interativos e gêneros na atividade discursiva) 2001-2003/2004
• Referenciação e atividade inferencial no processamento textual (Marcuschi)
• Princípios e critérios para a construção de um ‘Corpus de Uso’ para a análise Linguística da Fala e da Escrita (Hoffnagel)
• Interação entre discursos na atividade falada e escrita (Cunha)
• Produção textual e interação no ensino pelo Internet (Barros)
• Projetos Individuais (além e depois dos projetos integrados)
• Adivinhação: do folclore ao lingüístico (Dionisio) (1998-2000)
• Adivinhações e Ensino e Língua Materna ( Dionisio) (2000-2001)
• Gramática e Interação na Escrita (Dionisio) (2001-2002)
• Gêneros Textuais e Letramento: uma abordagem Linguística (Dionisio) (2002-2003)
• Multimodalidade Discursiva: orquestrando palavras e imagens (Dionisio) (2004-2006)
• Do dialogismo mostrado ao constitutivo. Um estudo da representação do discurso (Cunha) (2003-2005)
• Enunciação – um estudo da recepção das heterogeneidades (Cunha) (2005-2007)
• Aulas pela Internet. Um estudo da organização global da interação (Barros) (2003-2006)
• Gêneros textuais do domínio científico: um estudo comparativo (Barros) (2006-2009)
• O Aspecto Lexical no Processo de Textualização (Marcuschi) (2004-2007)
Gêneros Discursivos e a Universidade: Um estudo etnográfico (Hoffnagel) (2004-2007)

Publicações Recentes
Como apenas uma amostra dos trabalhos resultantes das pesquisas desenvolvidas no NELFE aqui estão listados apenas os livros escritos e as coletâneas organizadas por pesquisadores do NELFE. Nas coletâneas há vários artigos dos pesquisadores do núcleo. Há também no prelo dois volumes contendo as escritas de Luiz Antônio Marcushi previamente publicados em periódicos a serem publicados pela editora Lucerna na série Dispersos.

• 2001. Marcuschi, Luiz Antônio. Da Fala para a Escrita: atividades de retextualização. São Paulo:Cortez.
• 2002. Dionisio, Angela Paiva; Machado Anna Rachel; Bezerra, Maria Auxiliadora, orgs. Gêneros Textuais & Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna.
• 2004. Marcuschi, Luiz Antônio; Xavier, Antônio Carlos, orgs. Hipertexto e Gêneros Digitais. Rio de Janeiro: Lucerna.
• 2005. Marcuschi, Luiz Antônio; Dionisio, Angela Paiva, orgs. Fala e Escrita. Belo Horizonte: Autêntica.

Traduções:
• 2005. Dionisio, Angela Paiva; Hoffnagel, Judith Chambliss, orgs. Gêneros Textuais, Tipificação e Interação de Charles Bazerman. São Paulo: Cortez.
• 2006. Hoffnagel, Judith Chambliss; Dioniso, Angela Paiva, orgs. Gênero, Agência e Escrita de Charles Bazerman. São Paulo: Cortez.


   
Contatos
LINKS
UFPE Digital
PROPESQ
2010 © Programa de Pós-Graduação em Letras - UFPE - Tel/Fax: 81 2126.8767 - E-mail: ufpe.pgletras@gmail.com